SIM, É GRÁTIS!
Seja o primeiro a receber as novidades do site.

O que você aprendeu hoje?

Por Mayara Sampaio | 30 de abril de 2016


Gosto de me definir como uma "aprendedora". Mais que isso, procuro de fato sê-lo e ter um mindset aprendedor. Se tem algo nessa vida que me atrai é o aprendizado: encontro poder no ensino e descubro força ao aprender.

Fazendo o teste do meu estilo de aprendizagem - com o qual, por sinal, eu concordei absolutamente - achei graça ao ler uma frase que dizia algo mais ou menos como os "por quês" serem meus companheiros diários; isso é tão verdade que no meu aniversário mais recente ganhei de presente um quadro com "por quê" em vários idiomas... 

Gosto disso, gosto das perguntas; como diz Mike Murdock, elas são as anfitriãs das respostas. Ora, se não há pergunta, como haverá, então, uma resposta? A pergunta é aquela que abre o caminho para que a resposta venha, e as perguntas nascem de curiosidade, vontade mesmo de aprender e sanar aquela dúvida que inquieta.

Algumas características me acompanham desde a mais tenra infância, e a curiosidade é uma delas; não aquela curiosidade que não produz, que é fútil e se resume a saber algo da vida de outrem. Não, não é essa curiosidade - é aquela curiosidade sadia que redunda em informação e posterior conhecimento. 

Sempre me encantou querer saber como as máquinas funcionavam, como os médicos sabiam exatamente qual remédio prescrever para cada tipo de doença, como era possível que os professores armazenassem tantas informações em seu cérebro, por que as nuvens pareciam tão próximas da terra apesar de serem tão distantes, como, como, como, por que, por que, por que...

Hoje a curiosidade, vontade de aprender e desejo de sempre saber mais continuam sendo uma constante e eu lanço mão de todas as oportunidades e possibilidades que tenho para tal. 

Livros são companheiros diários desde sempre e para sempre; redes sociais vão além de memes e conversas banais; Youtube não se restringe aos vídeos procurados unicamente pelo poder que têm de nos fazer rir; como dito na frase-tema de nossa atualização: todas as formas de aprender valem a pena.

O aprendizado não está encaixotado em um formato único e preestabelecido - ele é muito maior que qualquer molde ou forma.

E é importante salientar que muitíssimas são essas formas; o aprendizado não está encaixotado em um formato único e preestabelecido - ele é muito maior que qualquer molde ou forma. Aprender vai além de estar em uma sala de aula - e a realidade do país nos revela a triste verdade de que muitos daqueles que em sala de aula estão sequer aprendem. 

Essas formas são as mais diversas e vão desde mentores, passando por experiências pessoais, conversas com pessoas próximas que são referência em alguma área e sabem mais do que você, até uma sala de aula, nas configurações de escola, graduação e pós-graduação em todos os níveis.

Um de meus mentores me ensinou que devemos entrar em todos os lugares como 1% mestres e 99% aprendizes; levo isso pra vida. É claro que todos nós temos algo o que ensinar e compartilhar, mas temos muito mais a aprender com a diversidade daqueles que nos cercam e acompanham, e isso, independente de todos os títulos que tenhamos.

Importante que se perca o preconceito, o medo do "parecer não saber" ou o receio do "o que será que vão pensar se eu aprender algo com aquela pessoa/se eu fizer essa pergunta"; a pergunta é poderosa, porque você só não sabe de algo até perguntar, depois que a resposta vem, você passa a saber. Não tenha medo, vergonha, receio - se exponha e aprenda.



Ande com pessoas melhores que você, que saibam mais que você, que tenham algo bom e novo para lhe ensinar, para com você compartilhar. Caminhe ao lado de "feras", suba sobre os ombros de gigantes e você vai poder enxergar além.

Li dia desses que se na mesa na qual você está sentado, você é o mais esperto, então está na mesa errada; não adianta ser o mais esperto da mesa - o que você vai aprender lá? Vá à mesas nas quais haja pessoas que saibam mais que você, possam te ensinar e te desafiem a ser melhor, dar o seu melhor, saber mais, buscar mais, pesquisar mais e crescer mais.

Aprendizado é responsabilidade sua. Sua mente é o seu maior investimento; não projete ou responsabilize esse investimento aos seus pais, cônjuge, gestores... Assuma! Utilizando uma palavra que ouço quase que diariamente: PROTAGONIZE. Seja o autor da sua história e a escreva sobre as linhas de aprendizado e conhecimento.

Seu conhecimento ninguém poderá tirar de você. Jamais.

Apaixone-se pelo conhecimento, por aprender, e estabeleça para si mesmo um desafio - inegociável - sobre aprendizado, para lhe obrigar a aprender e não abandonar a rota do aprendizado. Foi isso o que eu fiz, há alguns anos: desafiei-me a todos os dias aprender uma coisa nova: uma nova habilidade, uma nova teoria, uma nova informação, não importa! 



O desafio é que todos os dias eu tenho que aprender algo que não sabia até aquele dia e digo a vocês: é poderoso! Se eu não aprendesse nada além dos aprendizados diários por causa do desafio que propus a mim mesma, ainda assim, todos os anos eu teria aprendido 365 coisas novas. Wow!

Desafie-se! Não espere estímulo externo. O maior beneficiado será você mesmo. Que tal começar agora?

Pelo meu desafio, que já me acompanha há anos, hoje eu aprendi sobre o "Comedy Thinking", uma teoria criada pelo Murilo Gun que explica como o jeito de pensar do comediante pode ser útil para a inovação.

E você: o que aprendeu hoje?

Agora é com você!


E aí, gostou do artigo? Então, por favor, deixe o seu comentário ali embaixo, nós do Administrador Jovem queremos muito saber o que você achou dele.

Além disso, se puder, compartilhe com os seus amigos, seremos extremamente gratos a você por isso, sem contar que dar a oportunidade de outras pessoas conhecerem e terem acesso a um conteúdo relevante é um grande presente, não é mesmo?

E se ainda não se inscreveu na Lista VIP do site para receber todas as nossas novidades, conteúdos e indicações, não perca tempo, inscreva-se



GRÁTIS!
Torne-se Vip agora mesmo e receba todos os nossos conteúdos em primeira mão.

Finalista de Administração na Universidade Federal do Amazonas, Diretora de Filiação e Certificação no PMI AM, Pesquisadora CNPq, Curadora de Conteúdo na ABL Consultoria e Executiva de Contas na BSRM Training e Consulting.