SIM, É GRÁTIS!
Seja o primeiro a receber as novidades do site.

Os 3 pilares vitais para se tornar uma pessoa de alta performance e obter resultados memoráveis – Parte 1

Por Wendel Silva Moreira | 8 de setembro de 2015


O que você faria se soubesse o que fazer para se tornar uma pessoa de alta performance e obter melhores resultados?

Você colocaria em prática esse conhecimento? Valorizaria as lições que você possuísse?Compartilharia com outras pessoas?

Pois bem...

Esse é o primeiro artigo de uma série de três, onde vou compartilhar os principais elementos que serão fundamentais para você crescer ainda mais e se tornar um estudante de administração e um profissional de alta performance.

Que, a partir de hoje, terá em mente valiosas informações que poderão lhe ajudar a gerar excelentes resultados, mesmo que você seja uma pessoa improdutiva atualmente.
Quer saber quais são?

Então continue comigo aqui!

Nessa série de três artigos você aprenderá:
  • Quais são os três pilares da alta performance
  • Qual é o tipo de mindset que você cultiva
  • O que é necessário para que você tome melhores decisões
  • O que fazer para ser reconhecido pelos seus resultados
  • Como não ser um profissional frustrado
  • Como começar a ter uma postura vencedora
  • E muito, muito mais!
Não tenha dúvida, você vai obter muita informação riquíssima nessa leitura!

Vamos juntos?
 

PILAR #1: AUTOCONHECIMENTO



Acredito que você saiba o que significa autoconhecimento, mas vamos definir um simples significado a essa palavra para nos servir como base:

Autoconhecimento = consciência de quem você realmente é, de quais são os seus valores, pontos fracos e fortes, suas metas, suas preferências e o seu propósito.

Agora, tendo isso em mente, deixa eu te perguntar:

Quanto você se conhece?

Quero te convidar a fazer esse questionamento a si mesmo, pois embora seja um assunto muito falado, percebo que ele é muito pouco aplicado e muitas vezes considerado algo de pouco valor.

Por outro lado, estou convicto de que, se as pessoas passassem a olhar para si mesmas, a reservar um tempo para se conhecer, o mundo seria um lugar muito melhor, as empresas possuiriam colaboradores muito mais eficazes e muito mais motivados.

Gestores administrando conflitos em suas equipes seria algo muito raro...

As escolas, as faculdades, as universidades teriam alunos muito melhores...

A sociedade seria outra!

E é por isso, que quero compartilhar essas ideias com você aqui.

Pois, sei da extrema importância que isso tem, e o poder que essa simples atitude, de você olhar para dentro de si, pode exercer na sua vida.

Durante a sua existência você convive com inúmeras pessoas, entretanto, não há alguém no mundo que conviva mais com você, do que você mesmo.

Talvez isso seja muito óbvio, mas, deixa eu me aprofundar...

Se por um lado passamos mais tempo conosco, do que com as outras pessoas, isto é, 24 horas por dia e 7 dias por semana com nós mesmos, muitas vezes conhecemos muito mais essas pessoas do que nós.

Você pode viver toda uma vida e, ao final dela, saber mais sobre outras pessoas do que você sabe sobre si mesmo - Beryl Markham
 
Talvez isso soe estranho para você, mas isso é real na vida de várias pessoas.

Isto porque muitas vezes sofremos, passamos por dificuldades, apertos, indecisões, dúvidas, enfim... sem ao menos saber o porquê, cuja resposta para todas essas questões deveria ser dada por nós mesmos.

Temos soluções aparentemente infalíveis para os problemas das outras pessoas, menos para os nossos próprios problemas.

Assim, sabemos o que as outras pessoas precisam, menos o que nós precisamos.

Isso acontece com você?

Tomamos decisões erradas, e por vezes, precipitadas!

Escolhemos um curso achando que seria a melhor opção, mas logo em seguida percebemos que não era aquele que realmente queríamos fazer.

Nos importamos tanto com a opinião dos outros que deixamos de fazer coisas que nos proporcionariam um enorme prazer.

Iniciamos um relacionamento com alguém, e depois de alguns meses, ou até depois de anos, percebemos que aquela pessoa não era a ideal para nós e a culpamos por isso.

Por vezes, tornamo-nos completamente indiferentes aquela pessoa que um dia se deu muito bem com a gente. Mas será que a culpa era total e exclusivamente dela?

Por que isso acontece?

Com certeza a resposta para todas essas perguntas não seja somente autoconhecimento, mas não tenho dúvida, de que ele é sim um elemento essencial que evitaria muitos problemas como esses e ainda pode evitar!

Por esse e outros motivos que o defini como um dos grandes pilares que sustentam a alta performance, e posso ir mais além: ele sustenta o verdadeiro sucesso e nos possibilita concebermos resultados extraordinários!
 

QUEM É VOCÊ?



E então, você se conhece?

Se por ventura, a sua resposta for não, fique tranquilo, você ainda tem muito tempo para passar a se conhecer. Contudo, não procrastine nem mais um dia essa prática. Você tem muito a ganhar com isso!

Veja, ao se conhecer melhor:
  • Você terá mais controle sobre suas emoções
  • Poderá evitar sentimentos negativos como inquietude, frustração, ansiedade
  • Desenvolverá sua autoconfiança
  • Conseguirá lidar melhor com críticas
  • Conseguirá lidar mais tranquilamente com perdas
Quer mais? Aqui está:
  • Se adaptará melhor as mudanças
  • Conseguirá ter relacionamentos mais saudáveis
  • Tomará decisões melhores e mais conscientes

O fundador e presidente da Etalent (empresa de tecnologia especializada na gestão da mudança pessoal e na educação do comportamento), Jorge Matos, diz que “deixar de investir em autoconhecimento é arriscar 20% das chances de sucesso” (fonte).

Cai entre nós, arriscar 20% da nossa realização profissional é muita coisa! É muito mais vantajoso ter esse número à nossa disposição.

E se você olhar para outros aspectos, você perceberá que os benefícios não se limitam à sua vida profissional, vai muito além dela.

A seguir, vou lhe dar algumas sugestões úteis, simples e relevantes que vão te auxiliar nesse processo de autoconhecimento.

Se por vezes, você se sente:
  1. Inseguro em compartilhar suas ideias, projetos, em se expor
  2. Desmotivado com críticas
  3. Com dúvidas constantes
  4. Incapaz de realizar os seus objetivos
  5. Com dificuldade em tomar decisões
  6. Incerto de quem você realmente é, de qual é o seu propósito e o que quer ser profissionalmente
  7. Com medo de errar
  8. Com a necessidade de agradar e ser aprovados por todas as pessoas
  9. Desvalorizado em casa, na faculdade ou no trabalho
  10. Com dificuldade em reconhecer os seus próprios erros e de se relacionar com as pessoas
Recomendo seguramente que você continue lendo esse artigo.
 

PONTO FRACO X PONTO FORTE



Você já parou para pensar nos seus pontos fracos?

E nos fortes?

Se não, acredito que chegou a hora de fazer isso profundamente, que tal?

Antes, relembre os benefícios de se conhecer melhor e se, porventura, você tem algum preconceito com atividades parecidas a essa, deixe-as de lado.

Simplesmente para você se tornar uma pessoa muito mais confiante, motivada e preparada para desafios.

Um estudante de administração de alta performance!

Se você possui um papel e uma caneta, você consegue realizar essa autoavaliação facilmente, só é preciso que você esteja disposto a fazer isso e se analisar de maneira franca, sincera.

Aqui está um passo a passo simples:
  1. Faça duas colunas em uma folha, de um lado escreva PONTOS FRACOS, e do outro PONTOS FORTES;
  2. Analise-se com sinceridade e escreva cada ponto fraco e forte nas respectivas colunas;
  3. Depois que terminar de listar todos eles, reflita sobre cada um.

Agora, com essa lista já elaborada, sugiro que pense sobre eles. Busque potencializar os seus pontos fortes desenvolvendo-os através de leituras de livros, artigos, fazendo alguns treinamentos, cursos, assistindo entrevistas agregadoras e colocando-os a prova, em ação.

Por exemplo, se um dos seus pontos fortes é falar em público, busque se colocar em situações que essa sua habilidade seja exigida.

Com a prática constante vem a maestria, amigo.

Por outro lado, busque corrigir seus pontos fracos e se possível eliminá-los, entretanto, não gaste toda a sua energia com eles.

Alguns pontos fracos que temos dificilmente serão extintos, e alguns, são difíceis de corrigir, porém, perderão destaque naturalmente quando os fortes estiverem mais evidentes.

Mas, se por algum motivo, o seu ponto fraco seja alguma competência importante para a sua função, e você sente uma vontade sincera de desenvolvê-lo, comprometa-se a isso e desenvolva essa deficiência.

Por exemplo, se você quer ter um cargo de liderança, se esse é seu objetivo, mas você não tem facilidade para falar em público, desenvolver essa competência é fundamental.

Por isso que se faz necessário você ficar presente para isso, ou seja estar profundamente consciente das suas habilidades e limitações para que seja possível você se atentar e aprimorar aquelas que são relevantes ao cumprimento do seu objetivo profissional.

Ao fazer isso, você estará significativos passos à frente de muitos profissionais e estudantes, pois a maioria desvaloriza essa prática, que quanto mais cedo é aplicada, mais cedo mostra os seus resultados.
 

QUAIS SÃO OS SEUS VALORES?



Você já parou para pensar em:
  • Quais são os princípios que você defende?
  • Quais são os critérios que você utiliza para avaliar diferentes situações?
  • Ou quais são as causas que você apoia?

Tudo isso, diz respeito aos seus valores, isto é, as razões que te levam a tomar determinadas decisões, a se comportar da maneira que se comporta, a pensar da maneira que pensa, ao tratar as outras pessoas da maneira que geralmente você trata, enfim...

O que importa aqui é que os seus valores impactam diretamente na maneira que você se relaciona com o mundo.

E identifica-los é muito importante na sua vida.

Pois, talvez você saiba ou não, mas nem todos os valores que cultivamos são bons, sim... há valores negativos também, e que podem, consequentemente, não te trazer bons resultados.

E você quer ser fonte de grandes resultados, correto?

Então saiba que os seus valores são importantes nessa sua jornada.



Os valores, acredito que você saiba disso, são relativos de pessoas para pessoas. Ou seja, os valores que eu preservo na minha vida, não necessariamente são os que você cultiva na sua.

Ficou claro?

Mas, embora sejam relativos, acredito que existam aqueles que nos ajudam a sermos pessoas melhores, de modo que também podemos ter resultados mais sofisticados.

Por isso, sugiro a você que analise os valores que você alimenta na sua vida e desprenda-se daqueles que não te levam a lugar nenhum, que só lhe trazem problemas desnecessários e que não te fazem crescer.

Para fins mais didáticos, vamos dividir os valores em grupos, para facilitar a identificação dos seus, aqui está:
  1. Valores éticos - Relacionados à convivência, por exemplo: solidariedade, honestidade, verdade, bondade.
  2. Valores políticos – Relacionados à política, por exemplo: justiça, igualdade, imparcialidade, cidadania, liberdade.
  3. Valores estéticos - Relacionados à aparência, por exemplo: harmonia, belo, feio, sublime, ridículo.
  4. Valores religiosos - Relacionados à espiritualidade, por exemplo: sagrado, pureza, santidade, perfeição.
  5. Valores vitais – Relacionados à condição física, por exemplo: saúde, força. 

Quando você identifica os seus valores as suas escolhas se tornam mais fáceis.

Na escolha de uma empresa, por exemplo. Como você sabe, as empresas também têm os seus valores, desse modo, você pode compará-los aos seus.

E assim, escolher aquela que se alinhar melhor com aqueles que você defende.

Você e a empresa terão a ganhar muito com isso, pois você não precisará demonstrar ser alguém que você não é, não precisará omitir os seus valores, pois ambos defenderão os mesmos.

Por outro lado, sabe o que é mais comum dentro das organizações?

Colaboradores, gerentes, supervisores, e por aí vai, todos frustrados...

E um motivo que pode explicar esse fato é que ambos não conhecem os seus valores, as empresas não atentam para isso, e muito menos as pessoas que as compõem.

O foco está tão voltado ao lucro, que não atentam para algo que é fundamental e que pode ser convertido em grandes e melhores resultados, consequentemente em receita.

Sabendo disso, analise e revise os seus valores, isso faz uma enorme diferença na sua performance!
E depois de defini-los seja fiel a eles, seja íntegro.

Em tomadas de decisão é comum darmos mais ênfase a alguns valores do que a outros, desse modo você perceberá que está fazendo, muitas vezes inconscientemente, uma hierarquização dos valores.
Isto quer dizer que, estará privilegiando uns em comparação a outros.

Não há nada de errado nisso, entretanto, atente-se para aquele que você está valorizando mais, e observe se ele é realmente mais valioso do que aquele que você deu menos prioridade.

Aliás, vou falar no próximo tópico sobre a importância de definir prioridades na sua vida.

E as chances são que se você definir as coisas que lhe são mais importantes e organizá-las de forma hierárquica, as suas escolhas daqui para frente, serão muito mais fáceis.

Continue lendo para você entender melhor.
 

QUAIS SÃO AS SUAS PRIORIDADES?



O que é mais importante na sua vida?
  • Sua família?
  • Amigos?
  • Seu trabalho?
  • Uma pessoa em especial?
  • Dinheiro?
  • Viagens?
  • Atividades físicas?
  • Seus estudos?
  • Um esporte?
  • Seu sonho?

Talvez você não tenha apenas uma coisa importante na sua vida, mas sim, duas, três, quatro ou mais...

Mas a questão é:

Qual delas vem primeiro? Quero dizer, quem ou o quê, você mais valoriza?

Talvez, de primeiro momento, você ainda esteja pensando, o que isso tem a ver com alta performance?

Eu explico: uma pessoa de alta performance sabe tomar grandes decisões!

E você ter consciência do que é mais importante na sua vida, novamente facilita você fazer escolhas, tomar decisões que nem sempre são tão simples.

No entanto, quando você já pré-estabelece suas prioridades, de preferência em ordem hierárquica, fica mais fácil escolher.

Mesmo que, você esteja entre duas opções aparentemente irrecusáveis.

Nesses casos você já terá definido o que é mais importante na sua vida.

Vou te dar um exemplo:

Vamos dizer que você defina a sua família como prioridade primordial, isto considerando que você seja casado, se por acaso você não ser, não tem problema, utilize sua imaginação, pois isso provavelmente poderá acontecer um dia com você.

Desse modo, suponhamos que você esteja em um emprego bem remunerado, mas que tem um problema:

Ele está exigindo tempo demais de você e por consequência, o período que você teria para passar tempo com a sua família está sendo tomado por suas atividades profissionais.

E o pior, você sabe que, embora seja bem remunerado por isso, essa situação não irá mudar.

O que você faria nesse caso?

Você abriria mão de um emprego dos sonhos, para muitos profissionais, em busca de um outro que lhe permitisse passar mais tempo com a sua esposa e seus filhos, mesmo que este lhe pagasse um pouco menos?

Agora vem a sacada: se a sua prioridade realmente for a sua família, você não pensará duas vezes!

Embora o dinheiro possa ser uma das suas prioridades, se você definiu a sua família como a principal, essa decisão se torna até mesmo óbvia para você.

E nesse caso, você só tem a ganhar, pois uma necessidade sua, de estar com a sua família, estará sendo satisfeita.

E naturalmente, mesmo ganhando um pouco menos, você estará tranquilo, porque estará aproveitando o tempo com aquilo que é, de fato, mais valioso para você.

Agora, deixa eu te falar uma coisa: essa situação é muito comum na vida de grandes profissionais.

E muitas vezes eles se sentem presos em suas empresas, reclamam da vida que levam por não aproveitarem suas famílias, mas por um momento parecem que eles se esquecem que a decisão de abandonar aquela vida cabe somente a eles.

A verdade é que na maioria dos casos eles valorizam mais as suas famílias, mas não é isso que a decisão de continuarem em empresas que tomam o tempo que seria destinado a elas, demonstra.

E assim, abrem mão de suas famílias, pelo trabalho, pelo dinheiro, ou até mesmo pelo conforto que ele proporciona.

Mas não é tão simples assim... (alguém pode questionar)

A essa pessoa eu simplesmente digo: a escolha está nas suas mãos.

Mas não deixe para refletir sobre isso apenas quando você perceber que seu filho já cresceu, que você não pôde acompanha-lo nesse processo e que a sua família já se acostumou com a sua ausência.

Nesses casos, o que acontece com esses profissionais é que eles não definem suas prioridades em níveis de relevância, algo que os preveniria de passarem por esse tipo de frustração.

E deixam para tomar essas decisões no calor do momento, onde muitas vezes fazemos escolhas precipitadas.

Exímio estudante de administração, muito provavelmente, você estará exposto a isso algum dia, portanto, pense nisso antes.

Defina as suas prioridades, organize-as hierarquicamente, isso pode ser muito útil, não só no que diz respeito a situações como eu citei acima, mas também para priorizar atividades que são mais úteis no cumprimento das suas metas e projetos, pessoais e profissionais.

Uma pesquisa realizada pela Weigel Coaching revelou que 61,50% dos profissionais estão parcialmente satisfeitos e demonstram um sentimento muito evidente de frustração (fonte).

E um dos motivos que se destacou foi exatamente a falta de foco e prioridade de projetos corporativos.

Isso significa que tanto a empresa, quando o profissional que a compõe estão perdendo tempo e dinheiro por algo que já deveria ter sido pensado.

Portanto, pense enquanto há tempo:

Quais são as suas prioridades?

Isso vai te ajudar a evitar futuras dores de cabeça, você vai ser visto como um grande profissional e a sua empresa vai te valorizar bem mais.

Saber definir prioridades é uma habilidade muito importante para se destacar, tomar decisões e evitar ser um profissional frustrado.
 

QUAIS SÃO AS SUAS METAS?



 
A vida, sem uma meta, é completamente vazia - Sêneca

Definir metas na sua vida faz com que você evolua, seja pessoal ou profissionalmente. E além de fazer você evoluir, te possibilita perceber a sua evolução.

Porque você fica ciente da conclusão dela, ou do que ainda falta para realizá-la.

Isso, é claro, se você a elaborar de uma forma organizada, correta e controlada.

Caso contrário, é muito possível que você se perca ao longo da execução, por não saber se ainda falta muito ou por simplesmente não saber o que você realmente quer.

Pois, é muito comum as pessoas definirem metas muito generalistas, muito abrangentes, ao invés de elaborar metas específicas e claras.

Talvez isso aconteça, por acharem que não são capazes de conquistarem aquilo que definiram.

Assim, se elas conseguirem ao menos alguma coisa, vão iludir-se de que conquistaram o que desejavam.

Mas a verdade é que no fundo elas gostariam de ter conquistado algo a mais, mas que, infelizmente, não era claro nem para elas mesmas.

Você sabe quais são suas metas?

Já as definiu com especificidade e clareza?

Metas estão bastante relacionadas com autoconhecimento, porque ao nos conhecermos bem, sabemos o que realmente queremos conquistar, onde realmente queremos chegar.

E essas informações são muito valiosas durante a nossa vida. Pois são elas que definem para onde estamos indo.

E como já dizia aquela frase:

Se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve – Lewis Carroll

Pessoas que não definem metas em suas vidas são adeptas ao modelo de vida: deixa a vida me levar.

E posso dizer para você que, definitivamente, essa não é a melhor maneira de viver.

Suponho que você, como estudante de administração, já tenha em mente o que deseja ser, estou certo?

Pessoas de alta performance sabem definir metas e realizá-las!

Aqui estão algumas dicas para você considerar na definição das suas metas:
 

Dica #1: Defina até três metas que você considera importantes para a sua vida, não mais que isso



É muito comum definirmos várias metas e não realizarmos nenhuma, coisa pela qual é motivo de muita frustração.

Portanto, a dica é: defina até três metas, nada além disso, pois você conseguirá dar mais foco no que realmente importa, ou seja, essas três!

Quando realizá-las, defina outras três e o jogo continua!
 

Dica #2: Defina metas que sejam realizáveis, mas com uma boa dose de desafios



Definir metas muito fáceis, não nos dão motivação e nem mesmo nos dão aquela sensação de conquista, pois era simples, algo que estava a pouco passos de nós, e era extremamente possível de realizar.

Desse modo, defina metas que lhe inspirem, que lhe dão frio na barriga, que vão exigir um certo esforço de você, que não sejam tão simples e ao mesmo tempo que não sejam impossíveis de serem realizadas.

Assim, quando concluir uma meta, terá orgulho do seu esforço e sentirá aquela sensação única e prazerosa de que valeu a pena!
 

Dica #3: Defina metas específicas



E por último, elabore metas específicas, isto é, tenha clareza do que você quer conquistar e quando você quer que isso aconteça.

Isso exige mais esforço de você e lhe cobra mais dedicação, ao passo que esse período vai se encurtando.
 
Mas antes de tudo, volte-se para si mesmo e pense no que você realmente quer ser e conquistar na sua vida.

Isso tem um valor muito grande!

E se quiser aprender um pouco mais sobre como estabelecer metas, dá uma olhada nesse artigo aqui já publicado no Administrador Jovem. Garanto que será útil para você!
 

QUAL É O SEU PROPÓSITO?



Eu já falei sobre esse assunto nesse artigo aqui (que aliás, ficou bem legal, depois dá uma conferida, acredito que será útil para você), e destaquei a importância que é encontrar o seu propósito, a sua missão de vida.

Mesmo assim, não tem como não falar novamente sobre esse tema, principalmente no que se trata de autoconhecimento, visto que é a partir da prática de se conhecer que encontramos o nosso propósito.

Eu sou extremamente observador no que se refere ao comportamento das outras pessoas, ao modo delas pensarem e agirem.

E através disso, foi inevitável não perceber que todas as pessoas, que eu considero como sendo profissionais de alta performance, possuem um propósito!

Eles têm um motivo por trás do que eles fazem. Eles sabem o ‘porquê’ eles tomam as decisões que tomam. Não é por acaso, não é simplesmente por serem as mais promissoras, ou as que vão dar mais lucro para eles...

Não é somente isso...

Eles têm uma missão, seja qual for a de cada um e são motivados a agir com base nela, em seus respectivos propósitos.

Incrível, não é?

E se existe um outro motivo, além daquele que eu citei acima, sobre valor, para que os profissionais vivam insatisfeitos com as suas empresas, com as suas vidas dentro delas, não tenho dúvida, que este seja relacionado à falta de propósito.

É muito possível que as suas profissões não estejam alinhadas com as suas missões de vida, com aquilo que eles acreditam que realmente vale a pena fazer.

Quando você possui um propósito na sua vida, você utiliza a sua inteligência para elaborar soluções viáveis, não para criar desculpas infalíveis.

E quando você cria soluções, as oportunidades começam a aparecer para você e naturalmente a insatisfação deixa de te visitar corriqueiramente, e se dissipa da sua vida.

Simples assim!

O seu propósito é algo intrínseco, algo que por vezes, parece lhe explicar o porquê você existe. Sem contar que ele, por si só, já te motiva muito!

E você sabe qual é uma das características de uma pessoa de alta performance?

Ela é motivada!

Tanto que propósito e motivação, dentro do que eu entendo pelo significado de cada um, poderia muito bem serem considerados sinônimos, visto que ambos “motivam ações”, em um sentido mais amplo!

Você já descobriu o seu propósito?

Se ainda não, pense, busque dentro de você saber qual é o seu.

Acredito que toda pessoa tem um, apesar de nem todas ficarem presentes para isso.
 

QUAIS SÃO AS SUAS RESPOSTAS PARA ESSAS PERGUNTAS?



Agora, para te ajudar nesse processo de autoconhecimento, reuni abaixo, 15 perguntas importantes para você responder para si mesmo, se desejar. Garanto que ao responde-las você terá um conhecimento básico e muito significativo de quem realmente é.

Para fazer boas coisas no mundo, primeiro você precisa saber quem é você e o que dá sentido à sua vida - Robert Browning
 
Aqui estão elas:
  1. Como o mundo funciona e o que posso fazer para viver melhor nele?
  2. O que eu tenho de melhor e o que posso fazer para ampliar essas minhas potencialidades?
  3. O que me faz realmente feliz?
  4. Eu sou comprometido a maximizar os meus talentos? Por quê?
  5. Quais são as minhas limitações, e o que eu estou fazendo para desenvolvê-las ou minimizá-las?
  6. Quais são os meus valores?
  7. Eu tenho facilidade para reconhecer os meus erros? Por quê?
  8. Como eu trato as pessoas? Sei me colocar no lugar delas?
  9. Quais são as minhas metas?
  10. Qual é o meu propósito?
  11. Quais competências eu preciso desenvolver para alcançar o que eu quero?
  12. Qual a minha visão de futuro? E como me posiciono em relação a ela?
  13. O que gosto de fazer? Onde me sinto melhor?
  14. Em qual área sinto que tenho facilidade para agregar valor?
  15. Aonde quero chegar pessoal e profissionalmente?

Essa lista é apenas um primeiro passo rumo à uma análise profunda e sincera. São perguntas que ninguém pode responder no seu lugar.

Pois elas dizem respeito à sua pessoa, às suas preferências, aos seus objetivos.

Lembre-se: um estudante, um profissional, uma pessoa de alta performance, conhece bem a si mesmo, visto que isso é essencial para inúmeras decisões que tomamos na vida.

Quando você conhece suas características, comportamentos, valores, metas e propósito, além de se tornar naturalmente alguém mais conhecedor de si mesmo...

...consegue buscar com mais facilidade uma atividade (um relacionamento, um curso, enfim) alinhada à sua personalidade...

...e elimina várias convicções que você possui que te impedem de se desenvolver e alcançar o estado da alta performance!

Com certeza, de agora em diante, sempre que você passar por uma indecisão, algum conflito interno ou frustração, se lembrará desse artigo e verá que ainda é preciso se conhecer mais.

Por fim, para você que esteve comigo até aqui, uma excelente dica bônus!
 

UM BÔNUS PARA VOCÊ!



Uma dica interessante para você desenvolver esse processo de autoconhecimento é meditar!

Sim...

E se você acredita que essa prática é exclusiva para monges, fique sabendo que não.

Entretanto, quando falo sobre meditar, não estou sugerindo que se isole em um mosteiro e fique horas quieto em posição de lótus...

Muito pelo contrário.

Apenas sugiro que fique em silêncio e se interiorize, isto é, converse consigo mesmo, volte-se para você, questione-se, ou simplesmente fique absolutamente em silêncio, de preferência em um lugar propício e concentre-se apenas em sua respiração.

Apenas isso.

Livre-se de pensamentos negativos, de seus problemas e de todas as perturbações, desentendimentos e frustrações que o cerca.

Esqueça de tudo por um momento, e simplesmente: valorize o silêncio.

Para você ter uma ideia, do quão poderoso isso pode ser, vou lhe dar um exemplo de um profissional de sucesso que a partir dessa prática teve uma sacada genial:

Já ouvir falar do Carlos ‘Wizard’ Martins, fundador da escola de inglês Wizard!?

Então, segundo ele, foi em um momento de meditação que lhe veio a decisão de seguir o caminho da educação, transformando aulas de inglês (que ele dava em sua casa para alguns amigos da empresa em que trabalhava) em um projeto gigante.

Você pode acessar a entrevista que ele fala sobre isso em um fantástico canal do Youtube (que acompanho sempre!), chamado Foras de Série, clicando aqui!

E aí, percebeu o poder que essa tal meditação tem?
 

PARA CONCLUIR...



Se você gostou desse primeiro artigo sobre autoconhecimento aqui no Administrador Jovem, compartilhe com seus amigos e familiares!

Quem sabe, ele possa ajudá-los também!

E por fim, não se esqueça de deixar o seu comentário ali em baixo, ele é muito importante para sabermos se estamos no caminho certo!

Queremos muito ler o que você tem a dividir com a gente sobre esse assunto.

E pode ter certeza: eu vou responder todos! Isso mesmo: eu vou ler e responder todos os comentários!

Além de destacar o que mais me chamar atenção!

Por fim, não perca o próximo conteúdo dessa série de três artigos, onde vou tratar sobre o segundo pilar da alta performance, ok?

Até lá!

Opaa... já ia esquecendo:

Se quiser receber mais conteúdos como esse e ser sempre o primeiro a saber de qualquer novidade do site, insira o seu melhor e-mail no campo abaixo que eu te aviso por ele! Combinado?

Agora sim... Até lá! :)


Imagens: Shirley Farias

GRÁTIS!
Torne-se Vip agora mesmo e receba todos os nossos conteúdos em primeira mão.